Um recital «franckamente» bom na Gulbenkian

VIOLINISTA DA ORQUESTRA GULBENKIAN, A VENEZUELANA ANA MANZANILLA BRILHOU NA «SONATA» DE CÉSAR FRANCK

O Recital reuniu Ana Manzanilla, violino e João Paulo Santos ao piano. O programa juntava um interessante acervo de autores do século XX, Kodály, Penderecky e Martinú, e a imponente Sonata em lá maior de César Franck. Expectativas plenamente correspondidas, já que se assistiu a uma muito satisfatória leitura desta obra, com os pontos altos a serem, contrastadamente, um intenso e febril Allegro e um elegante e sereno Allegro poco Mosso final. Manzanilla mostrou-se possuidora de um belo legato e revelou-se capaz de boas gradações de intensidade das arcadas. O seu som é especialmente bom no registro mais grave do instrumento, alcançando belas sonoridades, tanto nos timbres mais cheios como nos mais velados…

in Diario de Noticias, Portugal, Bernardo Mariano, 21 de Janeiro 1999

veja também

Camerata Atlântica. A música clássica portuguesa pelas cordas sul-americanas

in Diário de Notícias, 12 Out 2019

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *