CAMERATA

Camerata Atlântica

ACamerata Atlântica é um projeto musical idealizado pela violinista venezuelana Ana Beatriz Manzanilla, sua diretora artística. Tendo como base 11 instrumentistas profissionais de cordas a Camerata tem a flexibilidade de poder ser alargada a uma formação mais ampla dependendo do repertório a executar.

Após o seu concerto inaugural em Novembro de 2013, a Camerata Atlântica gravou um DVD promocional com obras de compositores da América Latina. Apresentou-se consecutivamente com grande sucesso nos Dias da Música desde 2014 no Centro Cultural de Belém, no Festival Internacional de Música de Leiria, no Festival de Música de Ourique, na Festival Experience da Universidade de Lisboa, no Grande Auditório da Fundação Gulbenkian no âmbito dos Prémios Jovens Músicos 2014, no Festival Jardim de Verão da Fundação Gulbenkian e Natal em Lisboa da EGEAC em 2017 e 2018. Contou com a participação do contrabaixista Edicson Ruiz como solista convidado e organizou master classes para jovens contrabaixistas. Na temporada de Música Gulbenkian 2015-16 apresentou-se no Grande Auditório com o trompetista Pacho Flores.

A Camerata Atlântica criou o Concurso Nacional de Cordas “Vasco Barbosa”, que contou com a sua primeira edição em 2015.

Em Maio de 2016 foi seleccionada pela Antena 2 para interpretar “Fuga para a América Latina” no encerramento da série especial da União Europeia de Rádios intitulada “A influência da América Latina”, com posterior transmissão na Alemanha, Bulgária, Croácia, Espanha, Grécia, Hungria, República Checa e Roménia.

Em 2017 actuou na programação oficial de Lisboa Capital Ibero-americana da Cultura, realizou concertos em Espanha e editou o seu primeiro CD intitulado “Fuga para a América Latina”.

Desde a sua formação a Camerata Atlântica tem promovido diferentes actividades dirigidas aos jovens músicos, nomeadamente o Ciclo de Concertos “Cordas Jovens “em 2018 no Museu Nacional dos Coches, o encontro com o violinista Ray Chen a propósito da sua visita a Lisboa para actuar com a orquestra Gulbenkian e Masterclasses de instrumentos e Orquestra de Cordas nos Conservatórios de Setúbal, Covilhã e Castelo Branco.

Sobre o CD da Camerata Atlântica:

….A gravação prima pelas cores sonoras vibrantes, com muitas referências ao folclore, aos ritmos da dança popular latina-americana. De sublinhar, na interpretação da Camerata Atlântica, a energia rítmica da Quirpa Venezuelana(Luis Garcia), a paleta tímbrica alargada, por vezes com sonoridades percussivas, em Mourão (Guerra Peixe), o controlo do tecido contrapontístico na Fuga Criolla (Plaza) e na Fuga con Pajarillo, a sensualidade insinuante, nos Chorinhos (Carrapatoso), ou intensamente dramática em La muerte del ángel (Piazzolla), e o lirismo nostálgico na Milonga del ángel e na Melodia em lá menor (Piazzolla).

Ricardo Vilares in XpressingMusic, Portugal 12 Dezembro 2017 

… E é isso que os membros da Camerata Atlântica fazem: bom pulso generalizado, pizzicatos suculentos, tempos de sucesso e bom equilíbrio. Nada como uma Fuga para ouvir as diferentes vozes do conjunto e, para isso, a transparência do som é uma de suas melhores virtudes.

Alfredo López-Vivié Palencia Espanha mundoclasico.com 22 de Fevereiro 2018